Beauté: Os Gadgets Capilares da Nay

Enquanto o Rafael não arranja tempo pra me ajudar com a migração dos posts do Laços e Tachas para cá, vou tentar aproveitar a vontade de escrever no blog novo pra fazer alguns posts que estão na minha “pauta” faz um tempinho mas nunca saíram do papel e começar isso aqui de vez, mesmo sem os esperados posts de decor que já me pediram… calma que um dia eles chegam! =)

cabelos3_secadores Embora o item mais antigo desse post seja esse secador de cabelos da Taiff, faz um bom tempo que a minha coleção de gadgets capilares começou. Mais exatamente aos 16 anos, quando ganhei minha primeira chapinha de aniversário!

Novidade no mercado, era um dos itens mais cobiçados pelas meninas e garantia aquele desejado cabelo mega chapado, especialmente pra quem os fios são naturalmente ondulados e rebeldes como os meus. Ainda não tinha meu próprio secador e ficava bem contente com o da minha mãe, só fui comprar um de verdade quando sai de casa pra morar fora (era tão vagabundo que não durou 6 meses).

Atualmente tenho esses dois da foto: o grandão da Taiff, que tem uns 7 anos e me acompanhou em todas as mudanças dos últimos anos, embora só funcione do Paraná pra cima por ser 110V, e o bivolt portátil da Britânia, que tem quebrado um bom galho quando preciso de espaço na mala.

cabelos1_secador_britania Não se iludam com os 1200W prometidos pelo mini secador, tenho certeza que ele só alcança essa potência quando está no 220V. Mesmo assim, como falei, quebra um bom galho! Tem duas velocidades, mas nenhuma frescura como jato frio e essas coisas.

cabelos2_secador_taif Já o maior é realmente potente e dá conta do meu cabelo que tem os fios bem finos, mesmo quando ele tá mais comprido como agora. Uso quase todo dia desde que comprei, ou seja, tem uma durabilidade excelente, mesmo com esse fio aparente aí. Já ficou um bom tempo morando no banheiro, convivendo com umidade e caiu muitas vezes no chão por acidente.

Considero esse modelo um ótimo investimento pra quem quer um secador mais em conta mas bem potente. Vende até hoje na Americanas.com, como dá pra ver aqui com todas as especificações aqui. Não é tão pesado, tem 6 combinações de temperatura e velocidade, ións que selam as cutículas, jato de ar frio e todas essas coisinhas que juram que ajuda a proteger o cabelo e fazer as escovas durarem mais.

Admito que sou louca pra dar um upgrade nele e adquirir um Parlux, que dizem por aí ser bem mais moderno, leve e potente, mas ainda não criei coragem de investir o tanto que custa esse treco, mesmo com a possibilidade de parcelar em 12x, especialmente enquanto o meu velho de guerra ainda funcionar. Quem sabe um dia…

cabelos11_modeladores_conair_arnoSaindo dos itens básicos e indo pros “avançados”, essa primeira chapinha que falei – que em Santa Catarina a gente chamava de “prancha” – ainda existe e fica lá na casa dos meus pais como backup, mas como qualquer item de primeira geração, demora horrores pra esquentar e tem as placas (parte que fica em contato com o cabelo) de metal, o que estraga bastante o dito juto, além de não ter termostato. Usei ela muito tempo até comprar uma bem provisória mais estreita (pro meu cabelo mais curto) de uma marca xing-ling qualquer. Acabei de me dar conta que nem sei onde essa provisória foi parar, rs.

cabelos6_chapinha_arno_pente cabelos7_chapinha_arno_termostato De qualquer maneira, há uns dois anos tomei vergonha na cara e comprei essa da Arno, que tem um pentinho que promete alisar ainda mais o cabelo, placa de titânio revestida com cerâmica e termostato! Dei uma olhada no site da Arno e acho que nem vendem mais esse modelo, mas ele se chama Turbo Liss e tem temperatura de até 230°c (que eu nunca usei porque tenho medo de estragar o cabelo), além de ser bivolt.

Na época que comprei, fui pela mesma lógica de durabilidade do meu secador bom, imaginando que seria uma solução mais definitiva do que todos os modelos provisórios que tive antes. Gosto e uso bastante, especialmente pra ajeitar a franja (agora que ela está maior) e na parte de trás do cabelo, onde não consigo alisar só com o secador. Na foto, os dentes do pente estão meio sujos de protetor térmico (vou fazer um post falando deles qualquer dia desses), é meio chato ter que limpar de vez enquanto mas esse detalhe ajuda a deixar as pontas menos espigadas, problema comum em chapas completamente lisas.

cabelos10_minis_estojoAlém da chapinha e do babyliss da Arno (calma que já falo dele!), tenho dois gadgets capilares versão travel da Conair que trouxe de Nova York em 2010. Lembro que paguei uns U$10 em cada um em um outlet, e como eu tinha aquela xing ling mais estreita mas ainda “full size” e a grandona de primeira geração (que é enorme!) e nenhum modelador de cachos, achei  bem interessantes ter a versão de bolsa deles! A minha chapinha parece ser essa aqui e o mini baby liss é esse.

cabelos8_minis_tomadas cabelos9_minis_tomadaCom excessão dessa tomada americana chatinha (sempre preciso ter um adaptador junto), no fim das contas eles são bem práticos. Vieram até com essas bolsinhas aí da foto pra carregar. Usei bastante a chapinha pra ajeitar a franja quando ela tava mais curta, mas o babyliss sempre ficou de lado pela minha inexperiência (e pelo comprimento não muito amigo do meu cabelo nos últimos anos).

Por mais que eu achasse lindo os cabelos volumosos e ondulados das blogueiras, não conseguia me ver aderindo a essa tendência, sabe como? Meus fios naturais tendem a ser ondulados e rebeldes, mas, apesar de não ser adepta de escovas permanentes, também não conseguia assumí-los assim. Geralmente secava fazendo uma escova bem modelada, pra deixá-los mais comportados, até porque eles me odeiam, haha. Sério, meu cabelo quando seca ao ar-livre cacheia muito por baixo, mas fica escorrido e sem forma nenhuma por cima, não importa o corte… alguém explica?

cabelos4_babyliss_arno_conic_style cabelos5_babyliss_arno_termostato

Depois de ver um monte de tutoriais das blogueiras por aí (Julia Petit, Camila Coutinho e Lu Ferreira, muito obrigada pelas dicas), resolvi tentar de novo e consegui dar uma ajeitada bem bacana na situação, usando o mini babyliss pra fazer uns cachos nessa parte mais indefinida do meu cabelo sem precisar enrolar nem alisar ele inteiro (e secando bem mais de boa com o secador).

O comprimento atual foi essencial, e tudo deu tão certo que me empolguei pra comprar um modelo mais “profissional” de babyliss pra completar a coleção, já que o mini, além de ser bem pequeno (não dá pra enrolar o cabelo inteiro direito por cima) também não tem termostato e todos esses frufus. Claro que pesquisei bastante antes, inclusive cogitando o tal do Miracurl (a prancha dessa geração), mas logo conclui que não era pra tanto.

Como já gostava da minha chapinha da Arno, escolhi esse modelo “cônico”, chamado  oficialmente “Modelador Arno Professional Beauty Conic Style“, que apesar de ser um pouco mais estreito que o meu mini, dizem funcionar super bem pra fazer os cachos “bagunçadinhos” que eu quero. Comprei na Americanas.com, chegou ontem, já usei e tô apaixonada pelo resultado, pensando até em como vivi tanto tempo sem ele.

Sei que ninguém precisa de tantas tralhas pra viver, apesar do secador, pelo menos aqui em Curitiba, ser essencial (ninguém merece sair com o cabelo molhado no frio gelado do inverno)! Já pra quem curte e se diverte variando o penteado e o estilo do cabelo, são coisas bem legais de ter em casa, carregar na mala e eventualmente compartilhar com as amigas. A minha justificativa pra comprá-los inclui também aprender a me virar sozinha (com a prática!) e dispensar o salão nos eventos sociais, sabe? Quero muito ser autosuficiente. 😉

3 respostas para “Beauté: Os Gadgets Capilares da Nay”

  1. jesus, que paciência! haha
    meu secador principal é esse da taiff também, tenho desde 2008 e sempre foi ótimo! só agora que algo aconteceu com os botões, que não ajusta mais na tºC mais quente nem no jato mais forte, mas acho que é questão de abrir e arrumar.

    chapinha tenho uma que fica nas profundezas da gaveta, porque sou incompetente na arte de arrumar o cabelo.

    1. Thais, o meu tinha soltado dentro uma vez que caiu no chão, mas o Rafael abriu e arrumou… acredito que o conserto do teu seja simples tbm, vale a pena tentar. =)

  2. Não acredito que só descobri esse blog lindo hoje!
    Tinha que ter lido esse post a uma semana atrás quando estava as voltas sofrendo com qual secador escolher.
    Meu secador anterior era um secador da Taiff verde, que ganhei lá em 1999, oi, meu nome é Mariana e eu sou velha, ele me acompanhou no frio de Sydney, Londrina, São Paulo, Buenos Aires e Curitiba. Quando me mudei pra Joinville há 2 anos, doei ainda em excelente estado pra minha mãe. Aí a Mazzi me doou um belezinha quando ela se foi de Joinville, mas como ele é 220W deixei por lá.
    Aí o frio chegou a Curitiba e como eu tenho MOOOITO cabelo vi a necessidade de comprar outro. Li quase tudo da internet e sonhei em comprar um Parlux verde, só porque era belíssimo, super indicado e verde. No final avaliei todos os disponíveis no mercado e estipulei que não pagaria mais de R$250. Acabei escolhendo um Taiff com os ions negativos e tals.
    Uma semana depois estou super satisfeita com a compra.
    E meu antigo secador ainda está dando no couro, secando a cabeleira da minha vó.
    Besos e longa vida ao ap21g 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *