Música pra dirigir #01

Esse é o primeiro post que eu escrevo aqui, tenho alguns no draft, mas precisam de uma certa trabalhada antes de ir pro ar. Então pensei em escrever sobre alguns hábitos do dia a dia que acabam passando desapercebidos, como ouvir música ao dirigir.

Nós não temos exatamente um rádio no carro, temos uma traquitana chamada Moovi que nada mais é do que um amplificador wi-fi escondido no painel do carro. Você liga seu celular ou qualquer coisa que emita som por um cabo p2 em um aparelinho emissor que manda o som via wi-fi pro amplificador. Apesar de parecer revolucionário em termos de segurança já que o carro não tem rádio aparente, ele é muito burocrático e pede toda uma preparação antes de escutar alguma coisa como: carregar a bateria do dispositivo wi-fi, conectar no celular/ipad/ipod ajustar volume no celular e etc. Se rolasse um bluetooth seria bem mais simples, porém a versão com bluetooth foi lançada anos depois. Mas voltando, só tenho coragem pra fazer toda esta função em trajetos mais longos, como ir de casa até onde dou aula, que geralmente é uma viagem ou quando vou pegar a estrada mesmo.

Normalmente ouço uns podcasts, mas como todo bom refém da indústria cultural tenho mania de ter trilhas sonoras para o ato de dirigir. E assim para cada destino, dependendo do hora do dia ou situação lembro de uma música, que traz uma memória, cores, imagens e etc. Aproveitando que tenho escrito quase nada por aqui, vou registrar algumas em formato de lista. Essa primeira é de coisas que vem a minha cabeça quando vou pra casa dos meus pais, no norte do paraná.

Destino
Londrina > Curitiba

Morei em Londrina de 2000 até 2009 e logo que mudamos pra Curitiba uma das coisas que mais me chamou a atenção é de como as cores daqui são mais acinzentadas ou frias, mesmo em dias de sol. Talvez seja a posição de Londrina no globo e o clima, mas lá o sol bate de uma forma diferente, principalmente no outono, o sol é bem amarelo e sempre que vejo algo assim me dá uma sensação de “Voltando pra casa” e logo vem aquela guitarrinha do começo de Stay and Gone. Mas Londrina também tem dias frios e cinzas que parecem que não passam com horas do tamanho de anos que me lembra Magnetic Hill. Por último,  a sensação misturada de ânimo/sono/cansaço de chegar no norte do paranã logo pela manhã depois de dirigir metade da madrugada pede algo como um café forte sem açúcar ou 4/16 em níveis ensurdecedores.

Get Up Kids – Stay and Gone

Amanhece de novo e agora?

[youtube]VrZd2Z1rJrg[/youtube]

 

Land of Talks – Magnetic Hill

The road smell fine

[youtube]mhbK5i51ZBc[/youtube]

 

Silent Drive – 4/16

Antes do sol se por

[youtube]19dTsEDTou4[/youtube]