Cinema & TV: 13 Filmes e um Seriado (em um mês!)

Pra quem ainda não sabe, estou desde meados de fevereiro em casa, já que a empresa na qual eu trabalhava decidiu encerrar as operações em Curitiba e me convidou para fazer o que eu fazia por aqui lá em São Paulo. Como nem cogitei essa possibilidade, fui demitida!

Mas calma que isso não foi tão doloroso assim, tanto que até passei uma semana por lá treinando a equipe e tudo. Admito que gosto de passear em São Paulo, mas estar lá me deixa completamente overwhelmed. Não sei lidar muito bem com todo aquele excesso de informação, fico esgotada, cansada mesmo. Imagina morar (e trabalhar!) naquela selva? Conheço bem os meus limites.

Aproveitei essa parada forçada pra fazer algo que eu queria há algum tempo e tirei um mini período sabático (existem coisas que só rescisões trabalhistas fazem por você). Está sendo muito bom ficar sossegada por aqui repensando as coisas, tava precisando esvaziar a cabeça pra me sentir “inspirada” de novo.

Tenho aproveitado para cozinhar, ficar mais tempo com o marido e assistir filmes e seriados, coisas que eu quase não dava conta de fazer enquanto estava afundada em jobs. Como observou o Rafael outro dia, acho que vimos mais filmes esse mês do que no ano passado inteiro!

Claro que nessas horas, de muito tempo e pouco dinheiro, só o Torrent salva. Resolvi fazer uma mini lista do que tenho assistido, não vou ficar resenhando nada, esse post é só pra registrar minhas impressões mesmo! Vem comigo. 😉

august_12years

Já compartilhei com vocês que sofro de um mal chamado Bennedict Cumberbatch? É tudo culpa do Sherlock! E do Tumblr, já que praqueles lados da internet Ben é o rei! Depois da terceira temporada fiquei tendo crises de abstinência, que me fizeram correr pra baixar dois dos melhores filmes da temporada (ele está em ambos!): August Osage County e o ganhador do Oscar (super merecido!) desse ano, 12 Years a Slave.

wolf_hustle_dallas
Falando em Oscar, também me diverti bastante com o Wolf of Wall Street e o American Hustle (o que é a Amy Adams nesse filme?), e me emocionei horrores com o Dallas Buyers Club! Mais dois prêmios super merecidos, aliás, já que Jared e Matthew estão inacreditáveis.

her_frozen
Também adorei o Her, Joaquim Phoenix é ótimo e a história é mega legal, especialmente pra quem curte as piras do Gondry/Spike Jonze/Charlie Kaufmann (rola colocar eles todos no mesmo saco?) e carreguei o Rafael comigo pra cinema pra assistir Frozen naquela semana do calorão, hahaha! Valeu super a pena pelo ar-condicionado (mentira, a gente amou e se divertiu com a melhor animação da Disney em muito tempo).

rush_adangerousmethodVoltando pros filmes baseados em fatos reais, curti o Rush (sobre a temporada da Fórmula 1 de 76, famosa pela rivalidade entre o James Hunt e o Nicki Lauda, especialmente divertido pra quem cresceu assistindo F1 nos domingos de manhã, além de ser super bem feito) e A Dangerous Method, que é mais antigo (2011) e eu ainda não tinha visto. Esse filme também tem o Fassbender (que tá no 12 Years a Slave) e conta um pouco sobre a relação do Jung com o Freud e o nascimento da psicanálise.

maisie_llewyn
Falando em atraso, a gente viu o Prometheus e o The Wolverine esses dias! Gosto muito ficção científica e filmes de HQ, mas esses tinham ficado pra trás na sequência do ano passado. Como terão continuações, não queria deixar passar! E ó o Fassbender aí de novo. 😉

Pra completar a lista, dois filmes novaiorquinos, “musicais” (não são musicais mas tem músicos como protagonistas da história) e melancólicos. What Maisie Knew mostra um pouco do mundo da Maisie, essa menininha fofa interpretada pela fantástica Onata Aprille,  filha de um casal disfuncional – uma rockstar (personagem da Julianne Moore) e um dono de galeria de arte. Os dois vivem em pé de guerra e acabam usando a pequena como moeda de troca. Se eu contar mais do que isso vira spoiler. =p O outro filme é o Inside Llewyn Davis, filme dos irmãos Cohen sobre um músico fracassado na cena folk dos anos 60. Não é fantástico mas é um bom passatempo!

truedetective
E já que eu tava embalada, assisti True Detective também! Essa primeira temporada da série foi f*da, o Matthew mais uma vez está ótimo, arrisco dizer até que melhor do que no filme que deu o Oscar pra ele! E posso estar viajando, mas o Rustin Cohle lembra (de longe, é verdade) dois dos meus personagens favoritos de seriados, o Don Drapper de Mad Men e o Sherlock, claro, rs! Aliás, o season finale não poderia ter sido mais Sherlock! 😉